domingo, 14 de março de 2010

As figuras públicas


Eu TENHO mesmo de desabafar com alguém. Como os meus amigos já não estão para me ouvir, venho práqui martelar o teclado (e, acreditem, estou a teclar com muuuuiiita força).

Eu....ODEIO figuras públicas. Todas, em geral. Sim, estou boa da cabeça. Não, não tenho vergonha de o admitir. Até detesto a expressão "Figura Pública" quase tanto como detesto a palavra "celebridade".
Se vos disser que adoro pessoas normais e que ao mesmo tempo acho que as figuras públicas não passam de pessoas normais, instala-se a confusão. Por isso, "a partir de doravante" (private joke), neste post vou chamar "Pessoas Normais" às pessoas que não são públicas e "Figuras Públicas" às que o são.

Na verdade, o que eu detesto é a reacção que as pessoas normais têm ao aparecimento de figuras públicas. Entra tudo em histeria.
Metade chateia o grupo de amigos com quem está ("Papel, tens papel? Epa..qualquer talão de multibanco serve. E caneta tens caneta? Preciso de ir pedir um autógrafo!!")...
...e a outra metade começa a sussurrar: "Parece mais gorda do que na TV"; "E mais baixa."; "Além disso nota-se mesmo que usa maquilhagem na TV, olha lá práquelas borbulhas"; "O acne afecta até os famosos, não vês o Cristiano Ronaldo?"; "Pois é, mas vê-se mesmo que é gorda, olha lá!".
Alguns ainda vão cumprimentar, como se a pessoa os conhecesse da escola primária ou algo assim, por vezes ainda lhe atiram com um "Ai gosto tanto de si, gosto muito do seu trabalho., senhora Figura Pública. É muito melhor do que aquela lambisgóia do outro canal, ai como é que ela se chama...?" (vai uma aposta que se encontrassem a lambisgóia diziam o mesmo?).
E lá deixa de haver sossego no café, restaurante, centro comercial em que a malfadada Figura pública entrou.

E quando a malta conhece alguém que conhece alguém que é vagamente conhecido de uma figura pública? Fantástico. "Vamos dar um jantar mas vamos trazer a figura pública!"; "Mas ela anda sempre tão ocupada!"; "Falamos com a Pessoa Normal, que a conhece e ela há-de conseguir trazê-la. Nem que tenhamos de mudar 3456 vezes o jantar. Algum dia vai dar."
E lá ficam a achar que vão ser Pessoas Normais mais importantes porque conhecem uma Figura Pública. Nesse dia fazem a depilação no buço e colocam maquilhagem para ir jantar com a Figura Pública. E andam de cabeça erguida na rua, a entrar no restaurante pois andam protegidas pela aura, pela bolha actimel da Figura Pública. Perguntam-lhe montes de coisas sobre como é a vida na TV e como são os outros famosos. E começam logo a convidá-la para os aniversários e bodas da família.
"Sabes quem vem ao meu aniversário? A Figura Pública!"; "Ah sim? Não sabiam que vocês eram próximas."; "Quem a conhece bem é uma amiga da minha amiga Pessoa Normal. Mas já fomos jantar todos juntos e posso dizer-te que é muito simpática." (É capaz de ter aberto a boca duas vezes durante o jantar e porque lhe perguntaram como é a colega do outro programa).
As outras 123 pessoas que vão ao aniversário perdem toda a importância perante a Figura Pública. Podem até arranjar-lhe uma casa-se banho especial, diferente da das Pessoas Normais para a Figura Pública ir fazer o seu chichi-especial-de Figura-Pública durante o jantar.

E aqueles que, na sua lista de Facebook têm todas as Figuras Públicas e mais algumas? E que levam a vida a dizer: "A Figura Pública? Sim, sim sou amiga dela no Facebook."; "A sério? Mas ela é tão..ranhosa!"; "Sim, eu sei que é ranhosa, mas tenho-a pra lá...na minha lista de amigos."

Muitas Figuras Públicas não pagam o que vestem, nem o que calçam, nem os carros em que se movem. Tudo lhes é emprestado, pois a carneirada ao ver o que a Figura Pública tem vai a correr copiar. E isso é um grande negócio para as marcas que se aproveitam do Figurismo Publitólico.

E vivemos assim, na nossa nova religião politeísta de adoração e adulação às Figuras Públicas. Queixam-se os padres da falta de fiéis. Que é que querem, se têm as igrejas com imagens de santos que nem sequer aparecem na TV? Imagens dos famosos a decorar as igrejas, isso é que era!